Futebol Arte: Nunca houve um homem como Heleno (livro)


Aproveitei o domingo ensolarado para sentar próximo a uma árvore e colocar a leitura em dia. E dessa vez não poderia ter escolhido livro melhor para isso do que "Nunca houve um homem como Heleno". O livro de Marcos Eduardo Neves conta a história de Heleno de Freitas, um dos maiores expoentes do futebol carioca e brasileiro na primeira metade do século XX. Talentoso e temperamental na mesma proporção, Heleno viveu paixões arrebatadores, dentro e fora das quatro linhas. Botafoguense de coração, jamais conseguiu dar ao clube da Estrela Solitária o tão sonhado título carioca, que viria a conquistar com o Vasco. Pela Seleção, marcou 14 gols em 18 jogos, além de ter jogado pelo Boca Juniors, da Argentina, e pelo Júnior Barranquilla, da Colômbia. Fez uma partida pelo America-RJ em sua única exibição no Maracanã e foi campeão brasileiro de seleções estaduais. O livro detalha cada ano da carreira do craque, além de apresentar o contexto político e cultural do Brasil e do Mundo no período. Por fim, mostra com minúcia a derrocada do ídolo-galã, que passou seus últimos anos de vida internado por conta da demência causada pela sífilis, doença sexualmente transmissível, e que na época ainda não possuía diagnóstico e tratamentos adequados. Heleno é uma personagem que inspira os mais diversos sentimentos. Encantamento pelo craque despudorado, raiva pelo playboy soberbo, tristeza pelo destino que teve. O que não dá pra ter por Heleno de Freitas, é indiferença. 

Nenhum comentário

Deixe seu comentário:

Tecnologia do Blogger.