A chegada do futebol em Curitiba

Aqui no Escrevendo Futebol, já contamos sobre a origem do futebol lá na Inglaterra na segunda metade do século XIX, e também sobre a chegada do futebol no Brasil, simbolizada pelo jogo organizado por Charles Miller, em 1895. Agora, chegou a vez de falar sobre como o futebol chegou em minha cidade, a bela Curitiba, capital do Paraná. Se você é curitibano, certamente já passou pela longa Avenida Victor Ferreira do Amaral, que atravessa o bairro do Tarumã, e foi por muito tempo, a casa do futebol paranaense, já que a sede da FPF e o estádio do Pinheirão, eram situados nessa avenida. O que muito pouca gente sabe, é que a ligação de Victor Ferreira do Amaral com o futebol é muito maior do que isso. 


Victor Ferreira do Amaral não era um cidadão comum. Nascido na Lapa, em 1862, se mudou para Curitiba ainda na infância, para completar os estudos. Mais tarde estudou no Rio de Janeiro, e se formou em Medicina, com especialização em ginecologia e obstetrícia. Vale salientar aqui que ele também dá nome à Maternidade mais antiga de Curitiba, fundada por ele em 1913, então com o nome de Maternidade Paraná. Atuou em diversas outras áreas da sociedade paranaense, como no jornalismo, sendo redator-chefe e um dos fundadores do Diário do Paraná e como político, sendo vice-governador do Paraná no governo de Xavier da Silva, entre 1900 e 1904. Educador, talvez uma de suas principais paixões, foi um dos fundadores da Universidade Federal do Paraná, e primeiro Magnífico Reitor da instituição após a federalização, em 1946. 

Entre as várias idas ao Rio de Janeiro, uma em particular, é especial para nós, amantes do futebol. Em maio de 1903, Victor se viu surpreso ao passar por uma loja na Rua do Ouvidor, na época, a mais importante da cidade maravilhosa. Na vitrine, um objeto esférico.Curioso, entrou na loja e ao ouvir a utilidade daquela bola, comprou um exemplar junto de um livro de instruções. Na época, Victor Ferreira do Amaral era também Diretor da Instrucção Pública do Paraná e professor no Gymnásio Paranaense, futuro Colégio Estadual do Paraná, e a partir daí, introduziu a prática do foot-ball nas aulas de Educação Física da instituição. Entre os primeiros boleiros, estavam nomes importantes da alta sociedade local. O mais famosos deles era João Moreira Garcez, que futuramente seria prefeito de Curitiba e famoso engenheiro.

Naturalmente, como na maioria dos lugares, o futebol foi se espalhando por meio da aristocracia, para depois partir rumo à massificação. Em Curitiba, grupos foram sendo formados pela região central da cidade, como na Praça Osório e na Praça Carlos Gomes (liderados por Lineu Ferreira do Amaral, também futuro prefeito). Por volta de 1907, a tradicional família Leão passou a praticar o esporte nos grandes espaços existentes na região do Alto da Glória, localizado onde atualmente está o Colégio Estadual e o Estádio Couto Pereira. Os principais entusiastas desse grupo eram Agostinho de Ermelino Leão Jr. (um dos vários Agostinhos Ermelino de Leão da família) e Ivo Leão (que seria o primeiro artilheiro da história do campeonato paranaense, em 1915). Na mesma época, na rua João Gualberto, próximo ao Colégio Estadual, a família Veiga também batia uma bolinha, e próximo dali, no terreno da extinta Cervejaria Atlântica, do sr. Arthur Iwersen, jovens descendentes de alemães praticavam o esporte sob o comando de Fritz Essenfelder, que seria um dos principais responsáveis pela fundação do primeiro clube de futebol do estado em 1909, o Coritiba Foot Ball Club. Mas aí, já é outra história...

Imagens: 1. UFPR
PS: A fonte cristalina de pesquisa foi o excelente livro "Futebol do Paraná", dos historiadores Heriberto Ivan Machado e Levi Mulford Chrestenzen, com algumas adições encontradas internet afora.

Nenhum comentário

Deixe seu comentário:

Tecnologia do Blogger.