Os maiores goleadores do Brasil: Chuteira de Ouro da Placar


Nós do Escrevendo Futebol, já demonstramos que somos fãs da Revista Placar. Enquanto fazemos nossa série sobre a Bola de Prata, vamos falar sobre outro prêmio instituído pela publicação: a Chuteira de Ouro. Os critérios para decidir o maior goleador do país são similares ao prêmio equivalente europeu. Cada campeonato possui um peso diferente, e aquele jogador que conquistar mais pontos ao final do ano, é premiado. Abaixo, os vencedores desde o ano de 1999, ano em que foi criada a premiação.

1999 / 2000 - Romário (Flamengo / Vasco)

Não à toa, o Baixinho recebeu o apelido de "Rei da pequena área". Pelo Flamengo, em 99, marcou 46 gols e fez 92 pontos, faturando a primeira edição do prêmio. Em 2000, Romário teve a forte concorrência de Ronaldinho Gaúcho, que no início de carreira jogava como atacante. Mas na reta final o Baixinho desandou a marcar e conquistou o bicampeonato do prêmio. Marcou incríveis 71 gols e conquistou 152 pontos. Um recorde até hoje.


2001 - Kléber Pereira (Atlético-PR)

No ano de 2001, o Furacão dominou o Brasil, e teve a ajuda da dupla de ataque Kleber Pereira e Alex Mineiro. Ainda chamado apenas de Kléber, marcou 50 gols (100 pontos).


Kleber entre os companheiros Kleberson, Alex Mineiro e Gustavo
2002 - Romário (Fluminense)

Romário conquistou o terceiro troféu após marcar 42 gols (84 pontos) com a camisa tricolor. É até hoje, ao lado de Neymar, o recordista da premiação.


2003 - Luis Fabiano (São Paulo)

Um ano antes de partir para a Europa, Luis Fabiano jogou o fino da bola e ficou com a Chuteira de Ouro ao marcar 47 gols com a camisa tricolor e somar 95 pontos.


2004 - Washington (Atlético-PR)

O Coração Valente deu um exemplo de superação ao se recuperar de um problema cardíaco e voltar aos gramados fazendo o que melhor sabe: gols. O atacante marcou 44 gols (88 pontos), sendo 34 na campanha do Atlético-PR no Brasileirão, um recorde na história da competição.


2005 - Fred (Cruzeiro)

A ascensão meteórica de Fred o alçou rapidamente ao posto de maior artilheiro do país. Marcou 39 gols (80 pontos) e acabou convocado no ano seguinte para a Copa do Mundo.


2006 - Marinho (Atlético-MG)

Em 2006, os atacantes do futebol brasileiro marcaram poucos gols e o vencedor do prêmio assinalou "apenas" 27 gols (54 pontos). Marinho foi um dos principais jogadores na campanha de retorno do Galo à elite do Brasileirão. É até hoje o único jogador a faturar o prêmio, atuando pela série B do nacional.


2007 - Dodô (Botafogo)

O artilheiro dos gols bonitos teve uma passagem memorável pelo alvinegro carioca, balançando a rede 34 vezes (68 pontos).


2008 - Keirrison (Coritiba)

Quem vê Keirrison hoje, não imagina que um dia o K9 tenha sido o grande matador do país. Em 2008, no retorno do Coritiba a série A, o garoto fez 41 gols (82 pontos), sendo apontado inclusive como futuro nome para a Seleção Brasileira.


2009 - Diego Tardelli (Atlético-MG)

De futuro craque a garoto problema, Diego Tardelli se reencontrou no clube mineiro, onde alguns anos mais tarde, se tornaria um dos heróis do maior título da história do Galo.


2010 / 2011 / 2012 - Neymar (Santos)

A maior estrela do futebol brasileiro atual alcançou o recorde de Romário e realizou o feito inédito de ser o maior artilheiro do país por três anos consecutivos. Em 2010 foram 42 gols (84 pontos), em 2011 foram 39 gols (78 pontos), e em 2012 marcou incríveis 56 gols (112 pontos), sendo a 2ª melhor marca da história do prêmio.


2013 - Hernane (Flamengo)

O Brocador teve um ano mágico com a camisa rubro-negra, principalmente quando jogava no Maracanã, onde marcou a maior parte de seus 36 gols (70 pontos).


2014 - Barcos (Grêmio) e Fred (Fluminense)

Com os centroavantes de todo o Brasil em baixa, Barcos e Fred dividiram o prêmio (algo inédito, até então) com 29 gols marcados (58 pontos). O atacante do tricolor carioca, não foi À festa de premiação.


Nenhum comentário

Deixe seu comentário:

Tecnologia do Blogger.