Bola de Ouro da Europa - Parte 1 (1956-1969)

A Bola de Ouro foi um prêmio idealizado pela Revista France Football, para premiar o melhor jogador da Europa. Realizada desde 1956, a premiação foi incorporada pela FIFA, e a Bola de Ouro , agora, vai para o melhor jogador do planeta. Abaixo, a relação de todos os vencedores até 2009, com informações de cada vencedor e fotos históricas!

1956 - Stanley Matthews - Blackpool-ING

Então com 42 anos, o mais habilidoso jogador inglês da história era o primeiro premiado com a Bola de Ouro, que na época, era bem menor que a taça atual. EM 56, Matthews atuava pelo Blackpool, clube que dedicou 14 anos da sua carreira. Na temporada 55-56, conduziu o Blackpool ao vice-campeonato inglês, atrás apenas do Manchester United. Naquele ano, segundo o próprio Matthews, fez uma de suas maiores atuações individuais na vitória por 3 a 1 sobre o Arsenal, na abertura do campeonato. Na eleição, venceu Di Stéfano por 47 a 44.


1957 - Alfredo Di Stéfano - Real Madrid-ESP

Di Stéfano foi o primeiro sul-americano a vencer o prêmio, apesar de ter sido eleito já como naturalizado espanhol. Campeão espanhol e da Liga dos Campeões, o Saeta Rubia foi o maior jogador da equipe que assombrou o mundo na segunda metade dos anos 50. Em 56-57, foi o artilheiro do espanhol com 31 gols e marcou outras 7 vezes na campanha vitoriosa pelo continental de clubes.


1958 - Raymond Kopa - Real Madrid-ESP

   O francês era o grande motorzinho da seleção francesa, que foi eliminada nas semifinais da Copa do Mundo pela seleção brasileira, que viria ser campeã. Pelo Real Madrid, foi um dos principais jogadores do time que novamente fazia o doblete vencendo Campeonato Espanhol e Liga dos Campeões.


1959 - Alfredo Di Stéfano - Real Madrid-ESP


Pelo terceiro ano seguido um jogador do Real Madrid é premiado. Di Stéfano é o primeiro jogador a ser coroado por duas vezes. Apesar de o Barcelona, do goleador Evaristo de Macedo ter levado o título espanhol, Di Stéfano venceu o duelo pela artilharia, com 23 gols. Mas na Liga dos Campeões, os merengues mantiveram o domínio, com o Saeta Rubia marcando 6 gols. Em 89, Di Stéfano foi premiado com uma Super Bola de Ouro.



Di Stéfano (à dir.) ao lado de Marco Van Basten

1960 - Luis Suárez - Barcelona-ESP


O Real Madrid venceu sua quinta Liga dos Campeões, mas não conseguiu emplacar mais um premiado na Bola de Ouro. Luis Suárez comeu a bola, e levou o Barcelona a mais um título espanhol, marcando 13 dos 86 gols marcados pela equipe. Os blaugrana ainda chegaram às semifinais da competição continental, mas foram eliminados justamente pelos rivais merengues. 


1961 - Omar Sívori - Juventus-ITA

Omar Sívori foi o segundo argentino naturalizado a ser premiado. Campeão italiano e da Coppa Italia, foi artilheiro do nacional com 28 gols. O atacante disputaria a Copa de 62 pela Azzurra. 



1962 - Josef Masopust - Dukla Praha-TCH

O tcheco é o maior jogador de seu país, e também do país que não existe mais: a Tchecoeslováquia. Jogou por 17 anos pelo Dukla Praha, conquistando oito títulos do campeonato tchecoeslovaco e outras três taças da copa nacional. Em 62, foi campeão da liga nacional e foi o maestro da seleção, vice-campeã mundial frente ao Brasil.


1963 - Lev Yashin - Dínamo Moscou-URSS


Primeiro e até hoje único goleiro a vencer o prêmio. O Aranha Negra foi campeão soviético pelo Dínamo Moscou, única equipe que defendeu em toda a carreira. 


1964 - Dennis Law - Manchester United-ING

Um dos pilares da United Trinity (completada pelo inglês Bobby Charlton e pelo galês George Best), o escocês jogou tanta bola, que nem precisou ganhar um título pelos Red Devils naquele ano para ser eleito o melhor da Europa.


1965 - Eusébio - Benfica-POR


Primeiro negro a vencer o prêmio, e se considerarmos seu local de nascimento, foi também o primeiro africano. Em 65, Eusébio já havia sido bicampeão europeu pelo Benfica, e ainda viria a brilhar na Copa do ano seguinte. Foi artilheiro da Liga dos Campões com 9 gols, perdendo o título na final para a Internazionale de Helenio Herrera. Conquistou o campeonato português em que também foi artilheiro, com 28 gols.


1966 - Bobby Charlton - Manchester United-ING

Líder técnico e moral da seleção inglesa campeã do mundo em 66, chegou também às semifinais da Copa dos Campeões com o United, sendo eliminado pelo Partizan, da Iugoslávia. Atuou em 758 partidas pelo clube inglês, tendo seu recorde batido apenas em 2008, pelo galês Ryan Giggs.


1967 - Florián Albert - Ferencváros-HUN


É, para o público atual, um dos mais desconhecidos vencedores do prêmio. Atuou a vida toda pelo Ferencváros, e além de ter sido o melhor jogador da Europa em 67, foi o artilheiro da Copa do Mundo de 62. É o último grande jogador da história húngara. Em 66, foi o artilheiro da Copa dos Campeões. Em 67, além do título húngaro, foi artilheiro da Taça das Cidades com Feiras, precursora da atual Liga Europa.


1968 - George Best - Manchester United-ING

Todos os três jogadores da United Trinity conquistaram o prêmio. Com isso, o Manchester igualou o Real Madrid como clube com mais premiados. O fanfarrão norte-irlandês foi o melhor jogador da Copa dos Campeões, vencida pelo United, marcando três gols (um deles na final contra o Benfica) além de artilheiro do campeonato inglês com 28 gols.


1969 - Gianni Rivera - Milan-ITA

Considerado um dos maiores jogadores italianos de todos os tempos, foi o primeiro jogador nascido em seu país a conquistar a Bola de Ouro. Conquistou naquele ano seu segundo título da Copa dos Campeões pelo Milan, e posteriormente ao prêmio, o Mundial Interclubes, vencendo o Estudiantes num jogo que foi decisivo para o boicote de alguns europeus ao torneio nos anos seguintes.


Nenhum comentário

Deixe seu comentário:

Tecnologia do Blogger.