Os imbatíveis: histórias de invencibilidade


Ser campeão invicto é uma honra rara, que engrandece ainda mais a conquista. Não ser derrotado é uma prova de força e superioridade sobre os demais. Por isso, reunimos abaixo as grandes campanhas invictas do planeta!

Copas do Mundo

Em um torneio de tiro curto como a Copa, a possibilidade de encerrar a competição de maneira invicta é grande. Em 15, das 19 edições do torneio, o campeão levantou a taça sem perder. Entretanto, apenas quatro seleções garantiram os 100% de aproveitamento: Uruguai em 1930 (4 jogos), Itália em 38 (4 jogos), Brasil em 70 (6 jogos), e novamente o Brasil em 2002 (7 jogos)

Curioso notar que em 16 oportunidades uma seleção foi eliminada da competição sem perder nenhum jogo. O caso mais emblemático foi a Suíça em 2006, que não apenas não foi derrotado, como sequer sofreu gols nas quatro partidas que disputou.


Zuberbuhler: um dos destaques do Mundial-2006
Libertadores

Todos sabem que vencer uma Copa Libertadores não é para os fracos. Não por acaso, desde 1960, quando o torneio passou a ser disputado, apenas 6 equipes a conquistaram de maneira invicta. Destas, 4 defendiam o título, já que até 99, o campeão do ano anterior entrava em fases avançadas.

1960 - Peñarol: 7 jogos, três vitórias e quatro empates

1963 - Santos: 4 jogos, três vitórias e um empate (defensor de título)

1964 - Independiente: 7 jogos, cinco vitórias e dois empates 

1969 - Estudiantes: 4 jogos, quatro vitórias (defensor de título)

1970 - Estudiantes: 4 jogos, três vitórias e um empate (defensor de título)

1978 - Boca Juniors: 6 jogos, quatro vitórias e dois empates (defensor de título)

Por isso, o campeão invicto com mais jogos disputados, foi o Corinthians de 2012. Em 14 jogos, foram 8 vitórias e 6 empates, encerrando com o estigma de time "amarelão" em jogos internacionais.

Ligas pelo mundo

Em diversos campeonatos pelo mundo, inúmeras equipes foram campeãs invictas, inclusive, algumas chegaram a ter absurdos 100% de aproveitamento. Na Albânia, por exemplo, aconteceu em 11 oportunidades com 4 equipes diferentes. Entretanto, é importante ressaltar que todas elas foram anteriores à década de 60.

Em Andorra, foram apenas 3 vezes. E de maneira consecutiva. Em 98 e 99, o Principat fez as honras. Em 2000, foi a vez do Constel-lació Esportiva. Na Armênia, foram em 5 oportunidades, sendo as 4 primeiras vezes em anos consecutivos.

No Brasileirão, apenas o Internacional alcançou tal feito. Em 1979, o Colorado conquistou o tricampeonato com 79,7% de aproveitamento. Em 23 jogos, venceu 16 e empatou outros 7. Em aproveitamento de pontos, esta é a segunda melhor campanha da história do Campeonato Brasileiro. A primeira? Aconteceu em 1976, também com o Internacional. Apesar de ter sofrido 3 derrotas, o aproveitamento foi de 84,1%!


Também no Brasileirão, outras duas equipes tiveram participações invictas, mas sem levar o caneco. O ano foi 1977, e o Botafogo terminou na 5ª posição, com 11 vitórias e 7 empates. Na segunda colocação, ficou o Atlético-MG, Em 21 jogos, foram 17 vitórias e 4 empates. O título ficou com o São Paulo, que superou o Galo na disputa de penalidades.

E o Todo-Poderosos Mazembe? Nos últimos anos o clube criou uma soberania. Em 2007, se tornou o primeiro clube a ser campeão congolês de forma invicta (e com 100% de aproveitamento ainda por cima). Em 2009, 2010 e 2011, repetiu o feito.

Na Inglaterra, no longínquo ano de 1889, o Preston North End conquistou o campeonato inglês sem perder para nenhum adversário. E pouca gente imaginava que isso pudesse acontecer de novo. Pois aconteceu em 2003/2004, com o Arsenal armado por Arsene Wenger, com Henry, Bergkamp, Pires, Vieira, Gilberto Silva, entre outros...

Na Itália, o caso mais emblemático aconteceu com o chamado "Perugia dos milagres", na temporada 78-79. A forte equipe biancorossa terminou o campeonato italiano na segunda posição mesmo sem ter perdido uma única partida. O motivo? O excesso de empates. Em 30 jogos, foram DEZENOVE empates.

Séries invictas nas ligas nacionais

Dentro dos campeonatos nacionais, duas equipes se destacam pelas séries invictas mais longas da história. Em primeiro lugar, antes do hype com jogadores marfinenses, o ASEC Mimosas, maior equipe do país, ficou 108 (CENTO E OITO) partidas sem derrotas. Ficou de 1989 a 1994 sem perder na liga local. Um verdadeiro assombro. O craque da equipe era Abdoulaye Traoré. Após a primeira derrota depois de mais de 4 anos, o ASEC voltou a rotina normal. Aplicou uma goleada de 11 a 0, e Traoré marcou nada menos que 8 gols.

Pouco abaixo, o Steaua Bucareste ficou sem perder por 104 partidas entre 86 e 89. E se contarmos apenas jogos em casa? Aí o Real Madrid aparece disparado na frente com 121 partidas entre fevereiro de 1957 e março de 1965. Em segundo está o Estrela Vermelha de Belgrado, que entre 98 e 2004, ficou 96 jogos sem ser derrotado dentro de casa pela liga nacional.

Renato Sá: o exterminador de invencíveis

Em 13 de novembro de 77, jogando pelo Avaí, Renato Sá marcou um gol e de upasse para outro em uma vitória do clube catarinense sobre o Grêmio. No dia seguinte, o tricolor gaúcho, que vinha de uma série invicta de 18 jogos, contratou o jogador. Meses depois, em 20 de julho de 78, o Grêmio foi até o Maracanã enfrentar o Botafogo. O time comandado por Zagallo estava há 52 jogos sem derrotas. Um recorde na história do futebol brasileiro (e que perdura até hoje). Renato Sá marcou duas vezes na vitória gremista por 3 a 0. Mas a predestinação de Renato não para por aí. O atacante é contratado pelo Botafogo. No carioca de 79, o Flamengo havia alcançado a marca de 52 jogos sem derrotas, igualando a marca do clube da Estrela Solitária. E os dois times se enfrentariam no jogo seguinte. Em 3 de junho, o Botafogo venceu por 1 a 0, gol dele, Renato Sá.


O (quase) mais vitorioso do Mundo

O Coritiba teve um ano de 2011 muito além do que esperava o torcedor. O clube havia acabado de retornar à elite do Brasileiro e montou uma equipe modesta, sem grandes nomes. E para a surpresa de todos, começou o ano voando. Entre Campeonato Paranaense e Copa do Brasil, foram 24 vitórias consecutivas, com direito a goleada de 6 a 0 sobre o Palmeiras. A série lhe valeu um recorde no Guiness Book, revogado este ano. A publicação alterou seus critérios, e homologou o Ajax de Cruyff, de 71/72 como o clube com maior série de vitórias seguidas, com 26 partidas. Em segundo, ficou o Ajax de 95/96, com 25 vitórias.



Nenhum comentário

Deixe seu comentário:

Tecnologia do Blogger.