O sucesso da parceria entre Londrina e SM Sports e o recorde do treinador Claudio Tencati



Com dívidas trabalhistas girando em torno dos R$12 milhões, vivendo sob intervenção do Ministério Público do Trabalho (que perdura até hoje), rebaixamento para a Divisão de Acesso em 2009. Em 2010, por apenas um ponto, não caiu para a terceira divisão paranaense. Esse era o estado do Londrina Esporte Clube, equipe mais forte da história do interior do estado. Que caminho o Tubarão poderia seguir? Surge então a figura do empresário Sérgio Malucelli, de uma das famílias mais tradicionais do Paraná. No início dos anos 2000, se viu envolvido em denúncias de corrupção, foi parceiro por alguns anos de Vanderlei Luxemburgo, mas se manteve como um homem de sucesso, apesar dos escândalos. Criou a SM Sports, empresa de consultoria esportiva, em parceria com o empresário uruguaio Juan Figer, velho conhecido no mundo do futebol. A SM era a gestora do futebol do Iraty Sport Club até 2011. Em 2010, a empresa construiu um Centro de Treinamento próprio em Londrina, talvez, já de olho num futuro investimento no clube da cidade. No final daquele ano, Sergio Malucelli assume o futebol do Londrina. O futebol do mais tradicional clube do Norte pioneiro estava oficialmente nas mãos de um empresário. E pior: com um contrato que vai até 2020, e que mantém os atletas ligados à empresa. O que para muitos seria o começo do fim, se transformou no início de uma nova era no clube alviceleste. Apesar das desconfianças, a parceria se mostrou um sucesso. No lado financeiro, as dívidas já caíram pela metade, e a esperança é que sejam quitadas em até 3 anos.

Vanderlei Luxemburgo em visita recente ao amigo Sergio Malucelli

Para o comando técnico, foi anunciado no dia 21 de abril de 2011, o treinador Claudio Tencati. Na Divisão de Acesso, campanha impecável. Em 22 jogos, foram 16 vitórias, 5 empates, e apenas uma derrota, com impressionantes 49 gols marcados e apenas 15 sofridos. De volta a elite, em 2012, o LEC realizou campanha regular, e ficou na 5ª colocação. Resultado, que apesar de satisfatório, poderia ser o suficiente para a demissão do técnico, como acontece Brasil afora. O comandante foi mantido.

Em 2013, o Tubarão voltou a ser pedra no sapato dos grandes clubes da capital, conquistando vitórias contra Atlético-PR e Paraná Clube. Na última rodada do primeiro turno, confronto direto com o Coritiba pela vaga na final do Campeonato Paranaense. Com um bom público no Estádio do Café, o Londrina foi derrotado pelo Coritiba por 1 a 0, em desastrosa atuação do árbitro Felipe Gomes da Silva. No segundo turno, o desempenho não foi o mesmo, mas conseguiu novamente a segunda colocação. Apesar de estar fora da finalíssima, o LEC teve a melhor campanha geral. Na final do Interior, troféu conquistado diante do Operário Ferroviário. Classificado para a Série D do Campeonato Brasileiro, a equipe acabou perdendo muitas peças e foi precocemente eliminado. É óbvio que o treinador seria demitido, não é mesmo? Não no Londrina.

O trabalho feito por Claudio Tencati até então era excelente. Consolidação como quarta força do Paraná, 2 troféus regionais, e vagas em competições nacionais. Mas ainda faltava algo. 2014 não começou bem, e Tencati chegou a balançar no cargo. Porém, o projeto foi mantido, e o Tubarão confirmou na última rodada, a vaga para a segunda fase do Paranaense. Nas quartas-de-final, duas convincentes vitórias sobre o J.Malucelli. Na semifinal, foi derrotado na primeira perna por 3 a 1 para o Atlético Paranaense. Na volta, o Londrina surpreendeu e goleou o Furacão por 4 a 1, de virada, dando ares épicos a classificação para a final. E com tons de dramaticidade, venceu o Maringá nos pênaltis na grande final, coroando o ótimo trabalho realizado. “Não começamos bem o campeonato, mas a sustentação do projeto fez a diferença. Conseguimos fazer os atletas entenderem, a direção também, não é fácil em um clube fazer a torcida entender o mau momento, então a sustentação do projeto é muito importante para essa conquista”, disse à época para a Gazeta do Povo. E já começou a Série D com vitória, e na Copa do Brasil, já está na terceira fase da competição. Em meio a tantos bons resultados, resta saber o legado da parceria após o término do contrato entre Londrina e SM Sports. Haverá um clube sem dívidas e bem administrado, ou vai existir o risco de fechar as portas, como aconteceu com o Iraty?

Em meio a guilhotina de técnicos do futebol brasileiro, Claudio Tencati chega ao 100º jogo no comando do Tubarão

O próximo jogo, contra o Santos, na próxima quinta-feira, no Café, tem sabor ainda mais especial para Claudio Tencati. Será o 100º jogo a frente do Londrina. Além disso, é um dos técnicos que está há mais tempo no comando de uma equipe brasileira, e é o treinador com maior longevidade ininterrupta na história do clube: 39 meses. Claudio Tencati soma 53 vitórias, 23 empates e 23 derrotas, 166 gols pró e 91 contra, resultando em um aproveitamento de 61%. Se somarmos jogos-treinos e amistosos, são 129 partidas na casamata do alviceleste. Um exemplo de planejamento e profissionalismo no futebol brasileiro.

Nenhum comentário

Deixe seu comentário:

Tecnologia do Blogger.